side-area-logo
DÚVIDAS
FREQUENTES
FAMILIARES / Perguntas frequentes

Como abordar o baixo peso de uma pessoa com Anorexia Nervosa (AN), quando ela se recusa a acreditar/admitir que tenha a doença?

É difícil não focar no peso e aparência de uma pessoa com Anorexia Nervosa, especialmente alguém que você se preocupe e que esteja tão magra, com aspecto doentio. No entanto, talvez uma abordagem indireta seja necessária, já que o indivíduo anoréxico não reconhece seu problema, se enxerga acima do peso e acredita ser fundamental a manutenção da dieta.

Experimente iniciar uma conversa descontraída, abordando outros assuntos de interesse do indivíduo. Quando houver um clima de confiança, fale sobre o que você percebe e sobre os problemas que o baixo peso pode causar. Lembre-se que as anoréxicas precisam se sentir no controle da situação, portanto, não diga a ela o que fazer.

Demonstre seu carinho, preocupação e convicção de que ela pode conduzir sua vida de outra forma que não lhe cause tanto sofrimento e possível risco.
Em casos de AN, buscar ajuda profissional é fundamental.

Como posso evitar que meus filhos desenvolvam Transtornos Alimentares?

O lar pode ser um local gerador de insegurança em relação à forma corporal. As crianças e adolescentes vêem os pais como modelo de comportamento em vários aspectos. Há forte evidência de que mães excessivamente preocupadas com dietas representam um fator de risco para seus filhos.

Atitudes que podem minimizar os riscos:
- Evite comentários negativos a respeito da forma corporal, como: "Esta roupa te deixa gorda.";
- Não restrinja sua dieta na frente de seus filhos. Se alimente de forma saudável, com alimentos variados e em quantidades moderadas;
- Não faça comentários pejorativos a respeito do peso de alguém ou ao seu mesmo;
- Não vanglorie alguém por ter emagrecido, na frente de seus filhos;
- Não parabenize seu filho por ser magro ou ter emagrecido, e também não o critique por estar acima do peso.

O desenvolvimento de um Transtorno Alimentar depende de uma série de outros fatores, mas a adoção destas medidas pode garantir um ambiente mais saudável, diminuindo o risco de desenvolvimento da doença.

Quais são as consequências clínicas e emocionais, em longo prazo, decorrentes de Transtornos Alimentares?

Quanto maior o tempo de doença, maior é o impacto negativo na capacidade de trabalho e de relacionamento dessas pessoas.

A adolescência é um período crítico, pois é nesta fase que aproximadamente 90% da massa óssea de adultos é formada. Adolescentes que apresentam dietas muito restritivas ou sofrem de Anorexia Nervosa, podem apresentar osteopenia e osteoporose precoces, assim como desaceleração do crescimento e desenvolvimento sexual, atraso na menarca (1ª menstruação) e riscos de infertilidade, assim como prejuízo no funcionamento de órgãos vitais, como coração, o cérebro e os rins.

1. Complicações clínicas da Anorexia Nervosa:
- Grande perda de massa muscular, pois o organismo utiliza a proteína dos músculos como fonte de energia. O metabolismo então desacelera, em uma tentativa de poupar energia;
- Os batimentos cardíacos se tornam irregulares e, em casos extremos, pode haver parada cardíaca e morte, principalmente quando existem métodos purgativos (vômitos, uso de diuréticos e laxantes) associados;
- Alterações hormonais e suspensão da menstruação;
- Desidratação, cálculos renais e insuficiência renal;
- Esvaziamento gástrico lento, causando sensação de empachamento;
- Desnutrição.

2. Complicações clínicas da Bulimia Nervosa:
- Vômitos e o uso de laxantes e diuréticos causam enorme perda de minerais, como sódio e potássio, causando arritmia cardíaca. Em casos extremos, pode resultar em parada cardíaca e morte;
- O ácido que volta do estômago pode causar problemas dentais, gastrite e úlceras no estômago e esôfago;
- O abuso de laxantes pode causar dependência, de forma que o intestino não consegue mais fazer seus movimentos de forma eficaz;

3. Complicações clínicas da Compulsão Alimentar:
- Hipertensão arterial, colesterol e triglicérides elevados;
- O consumo excessivo de carboidratos simples (doces em geral, alimentos refinados) causa sobrecarga no pâncreas, podendo resultar em diabetes tipo 2 (adquirida).

Uma pessoa desenvolver suas atividades normalmente, manter o ritmo de trabalho ou alcançar boas notas na escola é uma garantia de que ela está bem e não sofre de anorexia nervosa?

Estudos demonstram que a capacidade cognitiva de pacientes diminui em função do baixo peso extremo, havendo prejuízos na concentração, memória e QI. Alguns indivíduos com anorexia nervosa perceber que, a partir do desenvolvimento da doença e perda de peso, o tempo gasto para executar um mesmo trabalho se tornou maior, e que a concentração ficou prejudicada. Porém, muitos podem negar este fator e conseguir manter a performance escolar a custo de certo esforço.

Geralmente, indivíduos que desenvolvem anorexia nervosa são bons alunos e eficientes no trabalho. Sendo assim, não é incomum que estas pessoas mantenham o seu bom desempenho nas atividades, não sendo este um parâmetro seguro para afirmar a ausência de um transtorno alimentar.

PACIENTES / Perguntas frequentes

Fazer dieta favorece o desenvolvimento de algum Transtorno Alimentar (TA)?

Várias pesquisas demonstram que, em grande parte dos pacientes, o desenvolvimento do Transtorno Alimentar ocorreu após o início de uma dieta de emagrecimento. Mas nem todas as pessoas que fazem dieta, apresentam estas doenças.

Pessoas com baixa auto-estima, ansiosas, perfeccionistas, que tem dificuldade em lidar com acontecimentos do cotidiano em geral ou com frustrações, ou que consideram o peso como um dos fatores mais importantes de sua vida e valorizam excessivamente a forma física, estão mais predispostas a se verem nesta "batalha" entre seu peso e a comida.

O tratamento do Transtorno Alimentar consiste no abandono dessas dietas e no estabelecimento de uma rotina alimentar saudável, com alimentos variados e em horários regulares, porém com flexibilidade também. Desta forma, a manutenção do peso ocorrerá de forma secundária e mais natural.

Transtornos alimentares são doenças exclusivamente femininas?

Transtornos alimentares também acometem homens, porém, com menor freqüência, possivelmente numa relação de 9 mulheres para cada homem. Um estudo recente de prevalência na população adulta sugeriu que esta relação possa ser mais próxima do que a taxa acima descrita, mas este dado ainda necessita ser replicado.

A maior parte dos artigos se refere aos pacientes como "ela". Pode ser que isto torne ainda mais difícil para o paciente do sexo masculino procurar ajuda, já que ele pode considerar que os transtornos alimentares são um "problema de mulheres", o que pode causar um conflito em relação à sua sexualidade.

Homens homossexuais, atletas, modelos ou indivíduos que já sofreram discriminação pela sua forma corporal, podem desenvolver uma preocupação exacerbada sobre seu peso e alimentação, aumentando o risco de TA.

Uma vez instalado o TA, o tratamento é, a princípio, semelhante para homens e mulheres.

É importante lembrar que os homens (pais, irmãos, companheiros) têm uma importante função na prevenção dos Transtornos Alimentares das mulheres que convivem com eles, portanto, devem evitar comentários negativos sobre peso e alimentação também.

Vomitar depois de comer exageradamente é uma prática eficaz para não engordar?

Vomitar para eliminar as calorias do alimento que você comeu não é um comportamento normal. Ao contrário do que muitos imaginam, provocar o vômito é uma maneira pouco eficiente de se “livrar” das calorias. Estudos demonstram que grande parte do que foi ingerido (até 50%) pode ser retido pelo organismo, já que a absorção se inicia na boca. Assim, ter um episódio compulsivo e depois purgar pode ser muito menos efetivo e levar à absorção de mais calorias do que o indivíduo teria ingerido ao longo de todo o dia se estivesse se alimentando adequadamente.

O que você come após as 6 horas da tarde é transformado em gordura pelo seu organismo?

Não existem evidências científicas que suportem o conceito de que, dependendo do horário em que foi ingerido, o alimento será metabolizado de forma diferente.

O peso corporal é mantido quando existe um equilíbrio entre as calorias ingeridas e as calorias gastas durante o dia. Seu corpo utiliza energia 24 horas por dia, e o ganho ou perda de peso depende da quantidade de energias ingeridas X energias gastas. Portanto, este conceito não é real, de forma que todas as refeições do seu dia devem conter alimentos variados.

Pular refeições quando eu não estiver com fome é uma maneira eficaz de emagrecer?

Fazer quatro ou cinco refeições / lanches por dia, com alimentos variados e em quantidades suficientes para manter o bom funcionamento do organismo é considerado um hábito alimentar normal e saudável.

Pular refeições não é uma boa prática, pois diminui a concentração, aumenta a irritabilidade, aumenta o risco de uma compulsão alimentar futura, entre outras questões que caracterizam uma nutrição inadequada. Além disto, quando seu organismo fica muito tempo sem receber alimentos, ele se sente ameaçado e passa a poupar energia. Sendo assim, quando você não ingere alimentos em horários regulares, seu corpo passa a economizar energia, de forma que, mesmo que você passe a comer cada vez menos, seu organismo também passará a gastar cada vez menos energia.

O emagrecimento deve consistir em dieta equilibrada, associada a exercícios físicos regulares, sempre sob orientação de profissionais da área.

Meu organismo sempre me "falará" das suas necessidades? Eu preciso comer apenas quando sentir fome?

As sensações de fome e saciedade estão preservadas em indivíduos saudáveis. Entretanto, na presença de um transtorno alimentar, isso não acontece. Pacientes com anorexia nervosa por vezes não percebem a fome adequadamente, e aqueles com bulimia ou compulsão alimentar são insaciáveis.

O tratamento do transtorno alimentar inclui um planejamento nutricional individual, o qual os pacientes devem tentar seguir, independentemente de identificarem fome e saciedade, até que o quadro esteja melhor estabilizado.

Depois de um longo período se alimentando de forma regular, os pacientes relatam a recuperação das sensações de fome e saciedade.

Laxantes naturais e fórmulas emagrecedoras naturais são prejudiciais à saúde?

As fórmulas e os laxantes naturais, como é o caso dos fitoterápicos, por exemplo, não são prejudiciais à saúde. Porém, devem ser usados com critério e sem abuso. É necessário que se faça acompanhamento médico e/ou nutricional.